quarta-feira, agosto 13, 2014

Suicídio anunciado ou mundo de olhos fechados?

Todos os suicídios são anunciados. 
Simplesmente a maior parte da pessoa que nos cumprimenta, 
aquela que é a nossa família, 
aquela que tem o nº de telemóvel gravado desde sempre, 
a que tem o nosso email, 
a que visita a nossa casa e até vai a festinhas e jantares comemorativos, 
critica-nos ou ajuda-nos?
Qual é a primeira coisa que faz quando nos vê na rua?
Abraça-nos e sorri com os olhos ou olha-nos de cima a baixo?
Ou pior, naquele dia, não está com disposição ou não está bem arranjada 
e finge que não nos vê?
Amizade passou a ser um consultório médico ou de advocacia, 
onde temos que marcar hora?
Podemos também pedir aos problemas, tormentos, devaneios, aflições 
para aparecerem só a determinada hora?
Exercício típico: 
"Dlim,Dlim... tocaram à campainha...schiuuuu... ninguém faz barulho... é o que alguém diz lá em casa. Não quero que me chateiem!"
Quem disse que seria uma chatice?
E se aquele momento poderia alterar a vida da outra pessoa?
O nosso limite acaba onde começa o limite da outra pessoa, por isso só nos cabe a nós defini-lho.
Todos temos o direito de sermos respeitamos, mas também um pouco de amor, amizade e compaixão nunca fizeram mal a ninguém.
Cada vez mais, as pessoas são hipócritas, preferem não ajudar o outro por 10 minutos, que seja, a não ajudar tempo nenhum!
Qual a lógica deste raciocínio?
Não me venham com o "Ai parece mal, tão pouco tempo!"
Tempo de qualidade é preciso,
para se viver melhor e
presenciar muitos momentos felizes. ;-)

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home